Seja +
Seja +

Perguntas e respostas

Pergunta: Mulheres Russas

Li sua resposta sobre mulheres russas e fiquei intrigado. É possível que uma garota russa de 27 anos possa se apaixonar em menos de um mês por alguém que tem o dôbro de sua idade? Pois bem, dias atrás uma delas me escreveu se dizendo muitíssimo apaixonada, querendo vir para o Brasil para ficar comigo só que não podia porque não tinha dinheiro suficiente.

Ela não me pediu dinheiro algum, mas eu percebi, que meio sutilmente, ela estava pedindo isso. Disse a ela que no momento eu não poderia ir visitá-la e que ela esperasse. Dois dias depois ela me manda um e-mail dizendo que a distância entre nós era muito grande mas que apesar disso, continua a me amar! Gostaria de dizer que sua resposta sobre mulheres russas pode servir de alerta para muitos homens que podem cair num golpe.

Muito obrigado.

Resposta: Fez bem em ficar intrigado. Como estão chegando e-mails falando da mesma dúvida, uns tendo recebido pedido explícito de empréstimo para pagar a pretensa passagem para vir ao Brasil, o site, de acordo com o que fui informada, está tomando providências nesse sentido para evitar, digamos, calotes. Não é impossível que uma garota de qualquer nacionalidade se apaixone em menos de um mês de conversas, mesmo virtuais. Da mesma forma que existe o amor à primeira vista, existe a tendência a uma grande idealização e conseqüente apaixonamento, por parte de homens e mulheres que estão "prontos" para se apaixonar, como decorrência de uma vida solitária ou insatisfatória, mesmo na companhia de um parceiro. A situação online, em que o outro não é conhecido, se presta mais facilmente a esse "despejar" de sentimentos. Esses sentimentos prematuros costumam ser intensos e renitentes, havendo enormes chances de levarem a decepções.

Ou não, é claro. Hoje em dia, a palavra de ordem é não dar importância à idade.

As pessoas estão mais preocupadas em ser felizes no presente e evitam pensar no futuro. Na verdade, estamos vivendo um momento em que as pessoas evitam pensar e se importam mais em ser aceitas.

Abraços,
Thaïs

Respondido por

Dra. Thais Oliveira Psicanalista

36 anos de prática psicanalítica e 8 anos com grupos terapêuticos mistos em consultório particular; 6 anos de experiência com grupos de discussão; Formação em psicologia na PUC-Rio; Especialização em Psicologia Clínica, Formação psicanalítica e em Grupoterapia na Soc. de Psicanálise Iracy Doyle, Rio.

Publicidade